Política de Acessibilidade Móvel

Política de Acessibilidade Móvel

Tendo em vista o número de países que assinaram a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que requer o acesso sem discriminação às tecnologias de informação e comunicação - e confrontados com o envelhecimento da população, a acessibilidade tornou-se uma questão política importante, tanto em nível nacional quanto internacional.

As empresas associadas ao MMF reconheceram a importância da comunicação móvel acessível e criaram o GARI, a fim de fornecer informações sobre os recursos de acessibilidade já existentes, bem como para criar uma plataforma na qual os formuladores de políticas, o setor e as ONGs dedicadas a deficiências possam trocar informações e trabalhar em conjunto para melhorar a acessibilidade de telefones celulares, tablets e aplicativos.

O GARI já é reconhecido pelos órgãos reguladores de vários países onde a regulamentação relacionada à acessibilidade móvel está em vigor, como forma de cumprir os requisitos de relatórios dos fabricantes.


A Unidade de Inclusão Digital da União de Telecomunicações Internacional (ITU, na sigla em inglês) publicou, em agosto de 2012, um relatório que dá uma boa visão geral das iniciativas de acessibilidade já introduzidas em países ao redor do mundo:


Do ponto de vista técnico, a Iniciativa para a Acessibilidade na Rede (WAI), que faz parte do Consórcio World Wide Web (W3C), fornece orientações sobre diversos aspectos da acessibilidade móvel:

  • As diretrizes de acessibilidade da WAI abordam a acessibilidade móvel e trabalham para melhorar as tecnologias de acessibilidade móvel: http://www.w3.org/WAI/mobile/